Papa Francisco, implacável: “Tolerância zero em todos os níveis contra os abusos”

Ao receber em audiência a Pontifícia Comissão para a Tutela dos Menores, o Papa Francisco reiterou nesta quinta-feira, no Vaticano, a política de “tolerância zero em todos os níveis aos abusos” perpetrados por membros do clero contra menores.

O Santo Padre afirmou que, “quando a consciência chega tarde, os meios para resolver o problema chegam tarde”, reconhecendo que as autoridades da Igreja demoraram, em muitos casos, para reagir diante do escândalo aberrante dos abusos sexuais. No entanto, ele reconheceu também o papel crucial dos católicos corajosos que enfrentaram o problema com veemência: “Deus suscitou homens profetas na Igreja” para desmascarar o escândalo “e encará-lo de frente“.

Francisco disse ainda que é preciso criar mais consciência na Igreja contra este crime e foi muito claro ao afirmar que, “se há provas de um abuso, isto é suficiente para não aceitar recursos“, já que a pessoa que pratica esse crime “é doente” e, quando se arrepende e é perdoada, “após dois anos cai de novo“. Quem é condenado por esse delito pode pedir a chamada “graça” ao Papa, ou seja, uma espécie de indulto – mas Francisco assegurou, taxativo: “Jamais assinarei a graça“.

Implacável, o Papa prosseguiu:

O escândalo do abuso sexual é verdadeiramente uma ruína terrível para toda a humanidade e afeta muitas crianças, jovens e adultos vulneráveis em todos os países e em todas as sociedades. Também para a Igreja tem sido uma experiência muito dolorosa. Sentimos vergonha pelos abusos cometidos por ministros consagrados, que deveriam ser os mais dignos de confiança“.

Definindo os abusos sexuais como “um pecado horrível” e em total contradição com os ensinamentos de Cristo e da Igreja, o Papa finalizou:

“Reitero hoje, mais uma vez, que a Igreja, em todos os níveis, responderá com a aplicação das mais firmes medidas a todos aqueles que traíram o seu chamado e abusaram dos filhos de Deus”.

 

Fonte: Aleteia – Brasil

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *