Mecanismos de Defesa na psicanálise

Freud foi o precursor dos estudos do inconsciente, foi o responsável pelo mapeado das principais doenças psíquicas. Sua importância é inconfundível, pois naquela época as doenças mentais eram tidas como obsessões espirituais. A partir dos seus estudos, e sua “descoberta” do inconsciente, ele pode montou sua própria teoria acerca da psique. Freud explica que o sistema psíquico é composto por três grandes subsistemas: o consciente, o qual ele chamou de ego; o sub-consciente, posteriormente denominado super-ego; e o inconsciente, denominado id.

Importante atentar-se a cada um, o Ego é responsável pelo equilíbrio da psique, regulando os impulsos do Id, graças ao Ego a pessoa consegue manter a sanidade da sua personalidade. O Ego começa a se desenvolver já nos primeiros anos de vida do indivíduo. O Superego se desenvolve a partir do Ego e consiste na representação dos ideais e valores morais e culturais do indivíduo. O Superego atua como um “conselheiro” para o Ego, alertando-o sobre o que é ou não moralmente aceito, de acordo com os princípios que foram absorvidos pela pessoa ao longo de sua vida. O Id é o componente nato dos indivíduos, ou seja, as pessoas nascem com ele. Consiste nos desejos, vontades e pulsões primitivas, formado principalmente pelos instintos e desejos orgânicos pelo prazer. A partir do Id se desenvolvem as outras partes que compõem a personalidade humana: Ego e Superego. De acordo com Freud, o Superego começa a se desenvolver a partir do quinto ano de vida, quando o contato com a sociedade começa a se intensificar e as relações sociais passam a ser melhor interpretadas pelas pessoas.

A partir dos conceitos acima, neste texto o primordial para o que se vai desenvolver é que a função do Ego é mediadora, integradora e humanizadora entre a pulsões, as exigências e as ameaças do superego e as demandas da realidade exterior (SILVA,2010).

A personalidade desenvolve mecanismos de defesa do Ego, ou melhor, processos subconscientes, que possibilitam a mente desenvolver uma solução, seja para conflitos, para ressentimentos, ansiedades e outras questões que afetam a mente. Os mecanismos de defesa são artifícios psíquicos cujo objetivo é apartar do nível do ego teores inconscientes causadores de intenso desprazer ou angústia. Os mecanismos de defesa são inconscientes, apesar de serem mecanismos do ego.  É importante enfatizar que nem sempre os mecanismos de defesa são negativos. Eles se tornam negativos quando são ineficazes. Para alguns sistemas neuróticos, os mecanismos de defesa são úteis e necessários, pois permitem que um sistema que poderia estar altamente abalado, possa sobreviver de forma relativamente boa e produtiva. Vou explicar sucintamente cada um deles, afim de que o leitor possa começar a identificar suas próprias reações psíquicas.

A REPRESSÃO é a intervenção psíquica que ambiciona evita que os pensamentos dolorosos ou perigosos cheguem até a consciência. É o principal mecanismo de defesa, de onde se originam os demais, e consiste simplesmente em tirar do nível da consciência qualquer conteúdo gerador de intensa angústia. Entretanto, mesmo com o sucesso da repressão, o elemento inconsciente causador da angustia, continua exercendo sua influência na consciência através de outros mecanismos psíquicos, geralmente associados à movimentação da libido ou energia psíquica.

A NEGAÇÃO consiste em negar, não aceitar conscientemente algum fato que perturba o ego. O fenômeno denominado “falsas memórias” muito provavelmente pode ter início no mecanismo de negação, posto que este mecanismos geralmente faz com que o indivíduo se lembre incorretamente dos fatos. Por exemplo, é mais fácil lembrar-se das surras levadas do que as dadas, pois lembrar as que damos nos traz à consciência que podemos ter sido maus e isto é uma fonte de angústia para todo mecanismo neurótico, capaz até mesmo de sentir culpa.

A PROJEÇÃO é o ato de atribuir a outra pessoa, animal ou objeto as qualidades, sentimentos, intenções que se originam em si próprio, mas por serem demasiado angustiante reconhecê-los, tende-se a vê-los primeiramente fora de si. O que acontece é que o ego não aceita o reconhecimento do impulso considerado “mau” ou “negativo” advindo do id, e o atribui a outra pessoa. O extremo funcionamento do mecanismo de projeção é a paranoia, pois a pessoa passa a ver todo mundo como perseguidor. O assunto sobre este mecanismo é extenso e pretendo esclarecer melhor sobre seu funcionamento num próximo texto.

A FORMAÇÃO REATIVA caracteriza-se quando o indivíduo adquire um habito ou caráter psicológico com sentido oposto ao anseio recalcado. É utilizada por indivíduos que tentam ocultar ou resguardar sua sensibilidade ou desejos, demonstrando o oposto em suas atitudes. A formação reativa é a simulação da indiferença ou da aversão ao seu desejo ou a qualquer tipo de ofensa ou ataque, enquanto na realidade o indivíduo sofre com o medo de ser rejeitado ou magoado. As principais características reveladoras da formação reativa  são seu excesso, sua rigidez e sua extravagância.

O DESLOCAMENTO é um artifício psíquico bem observado na transferência, quando a pessoa apresenta sentimento a um indivíduo que, na verdade, lhe representa outra pessoa de seu passado. Mecanismo muito comum e de ordem associativa, está presente em todas as relações, na medida em que, na teoria freudiana, acredita-se que “transferimos” sentimentos e atitudes antes encarregados ao nosso núcleo familiar para pessoas que posteriormente venham representar tais relações. Um exemplo clássico e cabível em todos aqui: a forma como você internalizou atitudes e sentimentos em relação a figura que nos lidera espiritualmente muito possivelmente tenha relação com os sentimentos e atitudes relacionadas às figuras materna ou paterna.

Por fim, a RACIONALIZAÇÃO trata de um mecanismo muito presente no neurótico obsessivo, refere-se ao fato de explicar através da razão e da lógica uma atitude, um ponto de vista moral, uma ideia, um sentimento. Minha intenção, ao iniciar esta série de textos psicológicos, é permitir o conhecimento sobre processos básicos psíquicos, afim de que possam todos partir rumo à uma auto-análise, possibilitando um entendimento melhor de si mesmo e do outro.

 

#AlessanderCapalbo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *